CRÔNICAS DO ENTARDECER [I]


Crônicas do entardecer [1], por Duda Bentes

Dizer que o tempo passa é um lugar comum e uma obviedade. É uma condição arbitrária e contingente, o tempo é inexorável. Dia após dia, o entardecer e o amanhecer, o círculo vital que se perpetua no infinito. Da temporalidade, do outrora e do devir, ecoam as lições de sábios pensamentos: “Isso foi”, “Isso será”?

Brasília, Outono de 2017.


Duda Bentes


fotógrafo, professor,

pesquisador e

redator em ebulição

18 visualizações2 comentários

Posts recentes

Ver tudo